Apresente um novo olhar sobre o já conhecido

A Escola de Fotografia Áurea Fotográfica traz mais uma dica bacana para melhorar suas fotos. É tudo uma questão de pensar no conceito que você quer transmitir e ser criativo em buscar um novo ponto de vista.

Uma foto para ser boa, além de conter uma história, deve também despertar alguma sensação no observador. Uma boa imagem nunca passa desapercebida, ela pode despertar admiração e prazer ou repulsa e tristeza, mas o observador deve ser tocado por ela de alguma maneira.

De modo geral uma boa foto deve causar no observador uma empatia que advém de alguma lembrança despertada pela imagem. Aquilo que trazemos em nossa memória sempre vem acompanhado de algum sentimento. Uma pessoa, quando relaciona uma foto com alguma lembrança da infância, com uma viagem ou até mesmo com traumas e conflitos, desenvolve uma empatia muito maior pela imagem, pois esta o toca no íntimo dos seus sentimentos. Aquilo que é completamente desconhecido não é relacionado com nenhuma memória e, portanto, pode ser descartado rapidamente sem que nenhuma atenção seja dada. Quando vamos a um show, por exemplo, ficamos muito mais animados quando a banda toca os velhos sucessos conhecidos do que as músicas do novo CD. Isso porque as músicas já conhecidas são associadas à lembranças e momentos marcantes na vida de cada um.

Com a fotografia acontece o meso. Devemos mostrar ao observador uma cena que ele já conheça para que ele crie empatia pela imagem. Contudo, ver uma foto igual a milhares de outras que já vimos antes não traz nada de novo e não desperta nenhum sentimento senão tédio, assim como ficamos enjoados ao ouvir a mesma música dezenas de vezes no rádio. Dessa maneira, uma foto, para despertar interesse deve apresentar um novo olhar sobre algo que já é conhecido. Veja os exemplos abaixo.

Calçadão de Copacabana

A imagem da esquerda não chama a atenção, pois é só mais uma foto no calçadão de Copacabana tirada num dia qualquer com pessoas anônimas. Ela não apresenta nenhum requinte estético de enquadramento, de cor ou de luz. A impressão que temos é que o fotógrafo fez a foto sem pensar muito em qual era sua intenção. Neste caso o prazer do fotógrafo, como diz Serge Tisseron no livro “El misterio de la cámara lúcida”, está simplesmente no ato de fotografar, basicamente apertar o botão, e não de apreciar a foto. Muitas vezes as pessoas sequer olham as fotos que fizeram.

Já a foto da direita é mais interessante, pois demonstra um planejamento, uma intenção que vai além do simples registro do momento. Ademais de apresentar uma calçada a partir de uma vista diferenciada, a foto ainda brinca com a composição geométrica e cromática das faixas. É possível fazermos uma relação entre composição visual e composição musical, já que o personagem toca um violão. Perceba como a foto se enriquece quando apresenta significados além dos triviais.

Cristo Redentor

A mesma situação acontece com essas duas fotos do Cristo Redentor. A imagem da esquerda, apesar de tecnicamente boa, não apresenta nenhuma novidade, é uma típica foto de turista que serve pra dizer “eu estive aqui” e nada mais. Estamos cansados de ver imagens iguais a essa. Já a foto da direita, apesar de muito simples, é bem mais interessante pois a estátua do Cristo entrou em um contexto simbólico relacionando luz, sombra, névoa e santidade. É como se as pessoas estivessem no céu, por entre as nuvens e o sol por detrás da cabeça da estátua lhe conferisse um ar divino, remetendo à aureola dos santos. O jogo de luz e sombra ainda brinca com a relação entre humanos e a santidade. Não se pode identificar a personalidade das pessoas, elas são mortais e pecadoras e, por isso, aparecem em negro. Já o Cristo surge por entre a névoa, como uma aparição divina. Além disso, há um jogo com diferentes planos, um sujeito de boné em primeiríssimo plano, um grupo de turistas num segundo plano e, finalmente, a imagem do Cristo entre a névoa translúcida ao fundo.

Gostou dessa dica? Essa é só uma entre muitas abordadas nos cursos de fotografia da Escola de Fotografia Áurea Fotográfica. Em nossa escola o aluno não aprende só a técnica de manusear a câmera, mas aprende também sobre os conceitos da linguagem fotográfica para produzir imagens muito mais bonitas e impactantes. Quer melhorar suas fotos? Venha estudar conosco! www.aureafotografica.com.br