Tratamento de pele no Photoshop

Tratamento de pele é um dos assuntos mais procurados por quem quer aprender a manusear o Photoshop. A seguir disponibilizo a vocês uma sequência de vídeos apresentados pelo fotógrafo Clício Barroso que mostra o passo-a-passo para se conseguir um tratamento para retrato bastante elaborado. Na minha opinião, o tratamento feito nos vídeos chega a ser exagerado, mas acredito que a intenção era justamente mostrar todas as possibilidades com relação ao tratamento digital para retratos. Por isso mesmo o tutorial é muito bom para aprendermos vários truques e conhecermos todas as etapas para um tratamento de pele perfeito. O Photoshop usado no vídeo é o CS3, portanto pode haver algumas diferenças nas ferramentas caso você tenha uma versão mais avançada do programa. Contudo, o princípio de funcionamento das ferramentas continua o mesmo.

A Escola de Fotografia Áurea Fotográfica oferece um curso de Photoshop voltado para fotógrafos. Nesse curso, além do tratamento de pele, são abordados muitos outros recursos para dominar esse programa fundamental para a fotografia digital. Confira no site da escola como nosso cronograma de Photoshop é completo: www.aureafotografica.com.br

Enquanto vocês não vêm estudar conosco, esperamos que façam bom proveito dos vídeos! ;)

Panorâmicas: como fazer

Panorâmica Torre do Relógio

Fotos panorâmicas são aquelas em que temos um ângulo de visão maior do que o de uma foto normal. Para isso podemos usar uma lente especial que permita uma grande abertura angular (enquadrar uma área de visão muito grande), ou então fazer uma montagem no Photoshop com várias fotos justapostas.

Neste tópico será apresentada esta segunda maneira de se fazer panorâmicas, que além de ser mais fácil e acessível para qualquer pessoa, já que não exige equipamento especial, também tem a vantagem de se conseguir fotos gigantescas, facilmente ultrapassando 1 metro de comprimento.

Esta técnica de fotografia panorâmica é apenas um dos tópicos do curso de Photoshop oferecido pela Escola de Fotografia Áurea Fotográfica. O nosso curso é voltado especificamente para fotógrafos, o que significa que ensinamos as ferramentas que são realmente úteis pra quem trabalha com tratamento de imagem fotográfica. Quer conhecer o cronograma completo do nosso curso? Então clique aqui.

Fotografando uma paisagem:

Para se fazer uma panorâmica precisamos de várias fotos de uma mesma paisagem. Para isso, fotografe a paisagem apenas girando o corpo na altura da cintura, sem mover os pés do lugar. Se preferir, você pode usar um tripé para um trabalho mais preciso. Na hora de fotografar, atente para os seguintes cuidados:

Deixe a máquina no modo manual para ajuste de diafragma e obturador e balanço de branco: sempre que vamos fotografar algo é necessário ajustar a quantidade de luz que entra na máquina para conseguirmos uma imagem perfeita. Fotógrafos amadores sempre deixam a máquina no modo automático, pois terão a garantia de fotos boas, além de que dessa maneira se dispensa conhecimentos técnicos. Contudo, para uma foto panorâmica isso não funciona, pois cada vez que giramos o corpo para tirar uma nova foto a máquina pode fazer ajustes diferentes para garantir uma exposição correta da luz. Isso varia dependendo da cor e do brilho do objeto que é fotografado. Se deixamos a máquina no modo automático corremos o risco de que uma foto saia mais clara ou mais escura que a outra. Para evitar essas variações, ajuste manualmente a exposição (abertura do diafragma e velocidade do obturador) para a primeira foto e depois tire as seguintes sem alterar esses ajustes.

O mesmo raciocínio serve para o balance de branco. Se o deixarmos no modo automático, corremos o risco de que cada foto saia com uma tonalidade diferente. Para evitar essa variação, escolha um ajuste pré-definido de acordo com a condição de luz do momento. Ex: luz do dia, nublado, sombra, etc.

Respeite a linha do horizonte:  É importante manter a altura da câmera numa linha horizontal imaginária. Todas as fotos devem ser tomadas respeitando essa linha, não tire fotos mirando a câmera ora mais pra cima ou ora mais para baixo. Veja o exemplo abaixo: todas as fotos estão na mesma altura.

Faça o enquadramento com a câmera na vertical: para aproveitar melhor a altura da panorâmica, faça as fotos segurando a câmera na vertical, como mostra o exemplo. abaixo. Assim, você terá uma panorâmica mais alta e não tão fininha e comprida.

 Aproveite apenas o terço central da imagem: para que as panorâmicas fiquem boas, sem distorções, devemos aproveitar somente a parte central da imagem. Dessa maneira, no momento de fazer as fotos, divida o campo da imagem em três partes iguais na vertical. A cada tomada de uma nova foto, gire o corpo um pouco para o lado. Porém, assegure-se de fazer com que as imagens que vêm em seguida contenham um pouco daquilo que foi enquadrado na imagem anterior. Veja o exemplo: os terços laterais de cada foto serão eliminados no photoshop. Contudo, perceba que no terço central de cada imagem aparece um pouco daquilo que é visto nas fotos laterias.

panorâmcia terço central

Montando a panorâmica no Photoshop:

janela photomergeJuntando as fotos num único arquivo: essa é a hora de montar a panorâmica. Para isso clique em “Arquivo” → “Automatizar” → “Photomerge”

Abrirá uma janela como a acima. Clique em “Procurar” e selecione as fotos que você acabou de fazer.  Não se esqueça de deixar marcada a opção “remoção de vinheta”. Isso é muito importante para que a sua panorâmica não fique listrada com cores mais claras e mais escuras. Então clique em “OK”.

O Photoshop executará uma série de cálculos para justapor as imagens da melhor maneira possível. Então um novo arquivo será aberto, contendo cada imagem num layer diferente.

Ajustando as emendas das imagens: apesar de o Photoshop justapor as imagens de modo excelente, pode acontecer de em alguns pontos a junção não ficar muito boa. Isso acontece principalmente nas bordas da imagem e quando o fotógrafo gira muito a câmera de uma foto para outra de modo que no momento da junção das fotos o Photoshop tenha que utilizar mais que o terço central da imagem. No exemplo abaixo,  os fios do poste não se encontram. Neste caso é necessário que façamos esses ajustes manualmente. Cada caso exigirá uma ferramenta mais adequada. De maneira geral as ferramenta mais usadas são:  “borracha”, “carimbo”, “borrar” e “pincel de recuperação”. Todas essas ferramentas são encontradas na barra lateral esquerda.erro na junção

Cortando a imagem: após fazer todos os ajustes de emendas é necessário recortar a imagem para retirar rebarbas das laterais. Assim, você terá uma imagem inteiriça e perfeita! Veja os exemplos a seguir:

Panorâmica Poços de Caldas

Panorâmica USP

Panorâmica noturna São Paulo

Gostou do tópico? Ficou interessado em aprender outras técnicas de manipulação de imagem no Photoshop? Obtenha mais informações sobre nosso curso aqui.

A importância da pós-produção

O tratamento digital das imagens fotográfica usando softwares de edição é indispensável nos dias atuais. Todo fotógrafo profissional ou amador utiliza algum programa de manipulação para melhorar suas imagens. A Escola de Fotografia Áurea Fotográfica sabe disso e, por essa razão, oferece cursos de Photoshop e Lightroom, os dois programas mais completos e famosos para pós-produção de uma fotografia digital. Quer conhecer os cronogramas dos nossos cursos? Acesse o site da escola para mais informações: www.aureafotografica.com.br

Aquela história de fotógrafos puristas que afirmam que uma fotografia boa de verdade deve ser conseguida no momento do clique já era. Mesmo porque o retoque em fotos sempre existiu desde que a fotografia foi inventada. A diferença é que hoje, com a tecnologia digital, fica muito mais fácil e versátil fazer alterações de todo tipo em nossas imagens.

Contudo, com a afirmação acima, não estamos dizendo que o fotógrafo pode fazer a foto sem cuidados técnicos para depois arrumá-la no Photoshop. Não é isso! O bom fotógrafo presta muita atenção em todos os ajustes necessários na hora de fazer a foto para que ela saia da melhor maneira possível. No entanto, uma foto linda pode ficar maravilhosa depois de uma pós-produção no computador.

Todo tipo de alteração que fazemos na foto depois de tirada é chamado de pós-produção. O Photoshop e o Lightroom são de longe os softwares mais utilizados graças as suas gamas de recursos e ferramentas. Mas existem outros no mercado, como por exemplo o Photopaint, o Photoscape e o Picasa. Contudo, esses programas são mais simples e oferecem menos recursos.

Mesmo quando tomamos todos os cuidados necessários para tirar nossas fotos (ajustando a câmera corretamente, montando uma boa iluminação e buscando o enquadramento perfeito) a manipulação digital da imagem numa pós-produção se faz necessária. Além disso, a manipulação digital da imagem fotográfica não serve só para corrigir pequenos defeitos ou melhorar uma foto que já é boa. Os recursos dos softwares de edição de imagens abriram uma porta para um novo mundo de possibilidades. A alteração de cores, de contraste, de saturação, as distorções variadas, a sobreposição de imagens… tudo isso possibilita a criação de novas atmosferas para tornar incríveis imagens que poderiam ser banais. Veja os exemplos abaixo.

Bárbara e irmãs

Neste primeiro exemplo temos apenas uma pós-produção para a melhoria da imagem. A foto original está à esquerda e à direita encontra-se a foto retocada. Neste caso, o primeiro passo foi fazer uma correção de cor. A luz incandescente, que sempre dá um tom amarelado para as fotos, foi corrigida para o branco. Posteriormente foi feito um ajuste de brilho e contraste para fazer aparecer os detalhes que estavam muito escuro. Com essa correção uniformizou-se também os tons de pele do rosto e do corpo. Por último foi apagada a moldura do quadro que aparecia no canto superior esquerdo. Lembra do tópico Elimine o que é desnecessário? Então, a moldura só estava deixando a foto feia, por isso foi retirada.

Francesco de Ruvo

Neste segundo exemplo já temos um caso em que as alterações feitas na imagem não têm só a intenção de corrigir pequenos defeitos. O objetivo aqui foi deixar a imagem mais dramática e  mais forte, já que se trata de um retrato masculino. Para tanto foi usado um alto contraste para acentuar os volumes dos músculos. Os poros da pele também foram evidenciados, conferindo um aspecto mais rústico ao rapaz. Por fim, para destacar a expressividade de seu rosto, foi feito um novo recorte, eliminando o que não interessava e evidenciando aquilo que a foto tem de melhor. Contudo, apesar de todas essas modificações, nada foi inventado ou inserido na imagem, todo o trabalho foi feito em cima daquilo que a fotografia já fornecia.

Nos dois exemplos acima os ajustes feitos na imagem podem ser chamados de retoque, ou tratamento, pois apenas foi melhorado aquilo que a foto já possuía, nada foi inventado. Esse é o tipo de tratamento feito pelo Lightroom. Já o Photoshop, além de possibilitar retoques na imagem também permite a alteração completa, fazendo fusões de várias fotos, apagando ou acrescentando novos elementos e modificando o tamanho e formato das coisas. Isso é o que a gente chama de manipulação, ou seja, é uma alteração muito mais agressiva e drástica.

Foto de Omar Rodriguez

As imagens acima já são um exemplo de manipulação digital extremada. O trabalho foi realizado por Omar Rodriguez a partir da foto da esquerda, que diga-se de passagem, já está super photoshopada. Mas Omar altera completamente a imagem acrescentando novos elementos e efeitos, além dos ajustes básicos de cor e contraste.

Por fim, a dica é: aproveite todos os recursos disponíveis de manipulação digital, mas utilize-os com parcimônia, pois o excesso pode ficar de gosto duvidoso ou pode deixar evidente algo que era para parecer natural. Por exemplo, quando for trabalhar num retrato de uma garota, faça-o até o ponto em que a imagem pareça natural, ou seja, que a garota pareça naturalmente bonita. Se os truques do photoshop começarem a aparecer você perde os créditos pela boa foto e quem leva a fama é o próprio software. Além do mais, existem coisas que são de mau gosto. Ser bom profissional, não é simplesmente saber usar o photoshop, é saber usá-lo na medida certa. Veja abaixo dois exemplos de exageros.

HDR

A imagem desse carro foi feita usando a técnica do HDR. Contudo, aqui o autor exagerou na mão. Parece que ele se deslumbrou com o recurso e não soube a hora de parar. A foto ficou com uma velatura cinza por sobre toda a imagem e apareceram uns halos claros em volta das árvores. Com o HDR dá pra criar imagens fantásticas, mas dá pra fazer umas aberrações como esta também.

aquarela

Outro exemplo desaconselhado é o de tentar fazer a foto parecer uma aquarela, pintura ou desenho a lápis. Não tem nada mais falso e brega do que usar esses efeitos do Photoshop.  Fujam disso se vocês quiserem ser respeitados como fotógrafos ou artistas. Fotografia é fotografia, desenho é desenho e pintura é pintura. Cada técnica tem suas características próprias. Não fique tentando imitar uma coisa com outra.

Se você quiser aprender a tratar suas fotos com perfeição sem correr o risco de cometer deslizes ou tratamentos de mau gosto, venha estudar com a gente. Na Áurea Fotográfica, ensinamos não só a utilizar as ferramentas dos programas de edição de imagens, mas também damos orientações de como fazer esses ajustes da melhor maneira e ajudamos o aluno a desenvolver um bom senso estético para fazer fotos com requinte. Coisa que não se aprende na internet, pois só a assessoria de um bom professor pode orientar o aluno para um trabalho de qualidade. Acesse nosso site e confira nossos cronogramas de curso: www.aureafotografica.com.br